5 passos para aumentar seu foco e performance no trabalho

“Queria fazer mais, mas não consigo”. Essa é a queixa mais constante nos meus atendimentos de coaching. A segunda é “Não tive tempo de fazer essa tarefa, mesmo sabendo que era necessário”. Estas duas frases têm acompanhado sua rotina também?

Imagino que sim. Por isso, meu objetivo, hoje, é apresentar a você cinco passos que podem aumentar seu foco e performence no trabalho. Porém, antes de tudo, é preciso relembrar que, assim como já falamos aqui no blog, é importante fazer uma gestão adequada das nossas emoções – sim, elas impactam diretamente na nossa produtividade.

Além disso, ter clareza do nosso propósito e do objetivo central é fundamental para que essa busca por mais entrega e produtividade não seja mais uma “resolução de Ano Novo” e acabe esquecida como aquele propósito de se alimentar melhor, praticar atividade física, começar aquele curso…

Vamos lá!

Papel e caneta na mão – sim, sou old school, mas não é só por isso que quero que você escreva cada uma das respostas. A neurociência explica que nosso cérebro registra melhor as informações quando escrevemos do que quando digitamos em nossos celulares ou notebooks. Essa é mais uma dica para levar para vida, hein?

1 – Qual é o meu propósito? O que eu quero alcançar com essa gestão de foco?
Escolha um objetivo que esteja relacionado com sua missão de vida, pois, do contrário, ele já nasce fracassado.

2 – O que posso fazer mais? Quais são as ações e atividades que podem me aproximam do objetivo?

3 – O que tenho que fazer menos?
É isso mesmo, você não leu errado! Essa pergunta é muito importante e não deve ser ignorada. A maioria dos coachees – pessoas que fazem coaching – tem muita dificuldade de respondê-la, mas é uma questão que, com toda certeza, aproxima do propósito.

4 – O que tenho que começar a fazer?
Pense em ações, atividades e contatos, por exemplo.

5 – O que devo parar de fazer?
Sim, tem ações que não são necessárias e, aqui, quero que você inclua sentimentos e emoções que te afastam do seu objetivo, como medo, receio de começar e fracassar, entre outros. Eis a importância do manejo emocional, que mencionei no começo do artigo.

Responda essas questões, deixe suas anotações em local visível e de fácil acesso para nortear suas ações no dia a dia. Tenho certeza que você já não está mais no “mesmo lugar” desde quando começou a leitura deste texto – e isso já é um ótimo sinal.

Você também pode procurar a Expertise – Gestão de Pessoas para conhecer mais técnicas de desenvolvimento profissional e pessoal e trabalharmos juntos no seu propósito e de sua empresa. Até a próxima!

Debora Avellaneda é administradora, coucher master, sócia da Expertise – Gestão de Pessoas e apaixonada por refletir, aprender e conhecer mais sobre si mesma e sobre quem a rodeia.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.