Formas de se conhecer.

 Se eu te perguntar: “Você se conhece?”, qual vai ser sua resposta? O autoconhecimento é muito importante para as nossas relações pessoais, mas também reflete no nosso desempenho e convívio profissional. Se conhecer faz parte do nosso processo de capacitação como indivíduos, sabia?

Saber quem você é, o que te faz feliz, o que você quer, onde você transborda (ou seja, suas melhores características e talentos) e o que você tem para oferecer são pontos importantes e relevantes para sua história e também para sua vida dentro da empresa.

A filosofia diz que todo indivíduo é hedonista – o prazer tem um papel importante em suas escolhas. Segundo esta teoria, o ser humano foge de tudo que lhe causa insegurança, medo, não satisfaz. A psicologia concorda com isso.

Quem se conhece dificilmente vai se cercar por pessoas que não trazem alegria, dificilmente vai permanecer em um emprego que não tem nada a ver com suas características (situação que o transforma em apenas um trabalho, um ofício) e sabe buscar cenários favoráveis.

Entender qual seu ponto atual e onde você quer chegar é fundamental para, por exemplo, melhorar a própria performance ou até mesmo mudar de carreira. Isso no campo profissional. Levando para a vida pessoal, esta pode ser a chave para abandonar relações desgastantes e tóxicas.

Enxergar tudo isso, claro, não é uma tarefa tão simples. Mudar também, não. Mas é, sim, super possível, quando se entender o caminho e os meios para fazer acontecer sua melhor versão.

Para ajudar neste desafio, utilizamos na Expertise – Gestão de Pessoas métodos e ferramentas variadas, de acordo com cada pessoa ou empresa. Uma delas é o Assessement, que identifica características de perfil.

Já o HumanGuide é uma avaliação psicológica que demonstra de forma clara o perfil das pessoas e suas características comportamentais. É uma ferramenta certificada pelo Conselho Regional de Psicologia e só pode ser administrada por um profissional habilitado.

Diante do feedback que estas técnicas proporcionam, é possível traçar o contexto desejável e alinhar as rotas e os caminhos – sessões de coaching ajudam nesta etapa! E isso sempre é feito baseando-se na teoria da psicologia positiva, que olha o indivíduo pela sua melhor vertente. Assim, ele consegue ter interesse genuíno no trabalho, se esforça em direção ao sucesso e consegue enxergar todas as etapas, entendendo que não é um caminho simples.

A partir do momento em que você se conhece de verdade, entende mais sobre auto liderança e autoadministração, identificando gatilhos sabotadores e como revertê-los. Aprende, ainda, como ser generoso consigo mesmo, com o outro e com a empresa. A próxima etapa é transcender e liderar o outro – mas esse é um assunto para outro dia, ok?

Lembre-se: cada pessoa tem um propósito diferente e merece ter uma vida plena, abundante e cheia de leveza. E isso tem a ver com o quê? Com olhar para si mesmo e se enxergar.

Roberta Cavalcante Gomes é psicóloga, coach e diretora da Expertise Gestão de Pessoas. Concorda com Vivienne Westwood de que o mais corajoso dos atos ainda é pensar com sua cabeça – em voz alta.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.